Diário da Serra

Turismo Religioso

Sidney Tapajós 30/11/2020 Artigos

O turismo religioso pode ajudar a fortalecer e preservar os costumes espirituais

Artigos

O turismo religioso pode ser entendido como atividades realizadas por pessoas que deslocam por motivos religiosos ou participam de eventos de relevância religiosa. Este segmento que contribuir para recognição e conservação de práticas espirituais de expressões culturais e de crenças.


Listam-se as religiões institucionalizadas compostas por doutrina, hierarquia, arquitetura, templos, rituais e sacerdotes, como religiões de origem oriental, afro-brasileiros, espiritualistas, protestantes e católicos. Estas incluem peregrinações, romarias, visitas a locais históricos / religiosos, encontros e atividades sagradas.


Neste cenário, podemos analisar a exploração espiritual e a prática religiosa que se caracterizam por ir aos locais de peregrinação, romarias , retiros espirituais e celebrações religiosas, manifestações artísticas de atividades religiosas e celebrações relacionadas com a evangelização dos fiéis, por rotas de natureza religiosa e rotas de locais e edifícios religiosos (igrejas, templos, santuários, locais sagrados). Muitos locais que representam importante patrimônio artístico e arquitetônico de religiões e crenças são compartilhados pelos interesses sagrados e sacrílegos dos turistas. As viagens inspiradas por interesses culturais ou apreciação estética de fenômenos ou espaços religiosos serão simplesmente consideradas como turismo cultural.


Para evitar as questões polêmicas e complicadas causadas pelas discussões conceituais, o turismo religioso pode ajudar a fortalecer e preservar os costumes espirituais, como forma de determinar as expressões culturais e de crenças de certos grupos e fornecer condições para um desenvolvimento econômico positivo na cultura e na qualidade de vida da população local. É inegável que a polêmica sobre o espaço para atividades de turismo religioso revela a dicotomia entre questões sociais e religiosas.


Essa divisão pouco contribui para o desenvolvimento prático do turismo religioso de forma sustentável, pois “quando nos aproximamos dos contextos religioso e social em que essas práticas são recorrentes, damo-nos conta de que os usos que se fazem dessas categorias demarcam diferenças e posições dentro de um campo de disputas de sentido e poder, no qual estão envolvidos diversos atores religiosos e políticos, mas também os acadêmicos que estudam esses eventos sociais” (Steil, 2003, p. 29).


O aumento do fluxo de turistas a locais religiosos faz com que o potencial turístico desenvolva a região, aumentando também a renda familiar. Isso se deve à geração de empregos, ao crescimento da produção artesanal e aos incentivos ao desenvolvimento imobiliário e hoteleiro, por outro lado, o afluxo de turistas contribui para a manutenção das identidades culturais e religiosas, principalmente pela preservação do patrimônio natural e arquitetônico.


Desta forma, a participação das comunidades locais é fundamental para que os benefícios gerados pelas atividades do turismo religioso possibilitem a melhoria da qualidade de vida e se tornem efetivamente a base para o desenvolvimento local.

Sidney Tapajós – Turismólogo e Pedagogo Instagram:turismo100Subjetivismo; tapajós.sidney@gmail.com; (65) 9 9802-6526
 



Notícias da editoria