Diário da Serra

QUEDAS DE ALTURA – Acidentes domésticos aumentam nesse período de falta d'água

Fabíola Tormes / Redação DS 01/12/2020 Geral

Quedas de escadas estão sendo registradas nos últimos dias

Queda de altura são os mais frequentes acidentes domésticos

O acidente doméstico é algo que está presente todos os dias em nossas casas e as quedas de altura (de escada, cadeiras e cama) são as mais frequentes causas de mortes ou de graves consequências, como fraturas no punho ou no quadril.


Em Tangará da Serra, diante da grave crise hídrica vivida, os acidentes domésticos aumentaram, especialmente no último final de semana. Com as caixas d'água vazias, os tangaraenses foram em busca de soluções para amenizar o problema.


Porém, nesta busca por água e abastecimento da caixa, muitos acabaram caindo e sofrendo graves lesões, como um empresário que quebrou os dois pés. Ele caiu da escada e agora ficará cerca de 60 dias parado, para se recuperar.


Assim como ele, o setor de saúde atendeu cerca de 10 pacientes no final de semana com fraturas e torções ocasionados por quedas em altura.


Para evitar acidentes, o tenente do Corpo de Bombeiros de Tangará da Serra, Jamil Nobres da Silva, orienta para alguns cuidados. “Quanto as escadas, especialmente nesta época em razão da crise hídrica que é necessário subir no telhado para abastecer as caixas d'água elevadas, é importante que a população tome alguns cuidados para evitar que acidentes indesejados ocorram, como colocar a escada em superfície plana e estável, utilizar sempre sapatos, de preferência com solado antiderrapante, e, se possível, usar os equipamentos de segurança como capacete, cinto trava quedas se a escada for bastante alta, ou até mesmo corda, fazendo uma amarração na própria pessoa, para sua segurança”, orienta.


Além disso, pede que observem as condições da escada, assim como evitar subir com ferramentas ou qualquer outro tipo de coisa, para ter as mãos livres para a subida. Importante também tomar cuidados com os telhados, que podem ocasionar a queda. “Tomar todos os cuidados para que faça o abastecimento com segurança”.


Pede ainda que idosos não façam esse tipo de trabalho. “Se não tiver condições, peça ajuda a um vizinho, pois, com certeza, todos nós neste momento de necessidade, somos solidários uns com os outros, para auxiliarmos naquilo que for possível a cada um”, finaliza.
 

Notícias da editoria