Diário da Serra

TANGARÁ DA SERRA – Dona Neide e Sandra Garcia seguem representando a mulher no Parlamento Municipal

Fabíola Tormes / Redação DS 02/12/2020 Política

Três mulheres foram eleitas neste ano em Tangará da Serra

Dona Neide e Sandra Garcia, ambas do PSDB

Apesar de representarem mais de 51,8% da população e mais de 52% do eleitorado brasileiro, as mulheres ainda são minoria na política. E os números das Eleições Municipais de 2020, levantados pela área de estatísticas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mostram a baixa representatividade feminina na política do país.


Foram eleitas, neste ano, 651 prefeitas (12,1%), contra 4.750 prefeitos (87,9%). Já para as câmaras municipais, foram 9.196 vereadoras eleitas (16%), contra 48.265 vereadores (84%).


Em Tangará da Serra, diferente de muitas cidades do país que não elegeram nenhuma vereadora para a Gestão 2021-2024, três mulheres foram eleitas, entre elas as reeleitas Dona Neide e Sandra Garcia, ambas do PSDB. A terceira representante é Elaine Antunes (Podemos), que já retratamos nas páginas do DS.


Dona Neide foi eleita com 796 votos para seu terceiro mandato. Ela entrou na Câmara pela primeira vez em 2013, com 930 votos; foi reeleita com 1.068 votos e agora novamente. “Quero continuar defendendo e buscando melhorias para todos os setores e principalmente em tudo que se trata de saúde pública. Quero ouvir os anseios da população e transmitir ao nosso prefeito eleito Vander Masson, pois juntos buscaremos o melhor resultado para cada problema do Município”.


Já Sandra Garcia foi reeleita com 741 votos. Pioneira em Tangará da Serra, Sandra Garcia é Graduada em Assistência Social e como vereadora tem sua atenção voltada a área da saúde pública, com inúmeras indicações voltadas à contratação de médicos em várias especialidades, melhorias no atendimento, em procedimentos, em estrutura física e, também, medicamentos e até em alimentação a pacientes.


Líder do PSDB no município, Sandra Garcia é ainda autora da lei que proíbe a contratação de pessoas condenadas pela Lei Maria da Penha (violência doméstica) em cargos públicos de confiança. “Estou muito  agradecida pela confiança em nosso trabalho na Câmara de Vereadores. Saiba que continuo aberta a ouvir seus anseios para a melhoria do nosso Município”.

Notícias da editoria