Diário da Serra

DO MINISTÉRIO DA SAÚDE – Tangará da Serra receberá R$ 81mil para apoiar aleitamento materno

Fabíola Tormes / Redação DS 09/12/2020 Saúde

No Estado 14 cidades foram contempladas com o incentivo

Objetivo de custear ações de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno

A amamentação é uma das intervenções mais efetivas para a redução da mortalidade infantil, uma vez que provê o aporte de nutrientes necessários para garantir o crescimento e o desenvolvimento do bebê. Além disso, aproxima progressivamente a criança dos hábitos alimentares da família, permitindo que ela descubra novos sabores, texturas e competências.


Assim, com o objetivo de custear ações de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno e alimentação adequada e saudável para crianças menores de dois anos, o Ministério da Saúde instituiu – em caráter excepcional e temporário – um incentivo financeiro para os municípios brasileiros. A medida faz parte da Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil (EAAB).


De acordo com o Ministério da Saúde, o valor a ser transferido em parcela única aos municípios varia de R$ 15 mil (repasse mínimo previsto) a R$ 120 mil, calculado tendo por base R$ 9 mil por equipe de atenção primária que tenha realizado e registrado no e-gestor AB, oficina de trabalho da EAAB, no período de 1º de janeiro de 2015 a 31 de agosto de 2020.


No Estado de Mato Grosso, 14 cidades foram contempladas com o incentivo financeiro, entre elas Tangará da Serra que receberá R$ 81 mil. Também receberão o incentivo os municípios de Santo Afonso (R$ 15 mil); Nova Marilândia (R$ 15 mil); Denise (R$ 18 mil); Porto Estrela (R$ 18 mil); Feliz Natal (R$ 18 mil); Cuiabá (R$ 18 mil); Arenápolis (R$ 27 mil); Campo Novo do Parecis (R$ 45 mil); Nova Olímpia (R$ 45 mil); Sapezal (R$ 45 mil); Barra do Bugres (R$ 54 mil); Nova Mutum (R$ 72 mil); e Sinop (R$ 108 mil).


As ações a serem desenvolvidas com esses incentivos financeiros serão monitoradas por meio da avaliação de alguns indicadores relativos a crianças menores de dois anos. Esses monitoramentos serão feitos 12 meses após a transferência do incentivo financeiro. (Com informações Agência Brasil)
 

Notícias da editoria