Diário da Serra

Com mais de R$ 3,2 bilhões, PIB de Tangará entre os 10 maiores de Mato Grosso

Diário de Cuiabá 21/12/2020 Geral

Cuiabá, com a maior população em Mato Grosso, tem o maior PIB

Tangará da Serra tem o 9º maior PIB de Mato Grosso – (Crédito: RS Imagens)

Com mais de R$ 3,2 bilhões, Tangará da Serra tem o 10º maior Produto Interno Bruto (PIB) entre os municípios de Mato Grosso. É o que revela números divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) tendo por base o ano de 2018.


Cuiabá, a Capital e município com a maior população em Mato Grosso, tem o maior Produto Interno Bruto (PIB). Campos de Júlio, que tem a melhor renda per capita, e Sapezal que mais adiciona valor bruto à agropecuária, são municípios novos e vizinhos, no Chapadão do Parecis. A economia cuiabana é diversificada, ao contrário do que acontece em Campos de Júlio e Sapezal, onde a base econômica é o agronegócio, com destaque para as lavouras de soja, algodão e milho safrinha.


Na relação dos 100 maiores do Brasil, Mato Grosso tem duas cidades: Cuiabá (41º), com R$ 23,7 bi, e Rondonópolis em 95º lugar, com R$ 11,2 bi.


Os maiores PIB mato-grossenses são os de Cuiabá, Rondonópolis, Várzea Grande, R$ 7,98 bi; Sinop, R$ 6,3 bi; Sorriso, R$ 6,05 bi; Lucas do Rio Verde, R$ 4,46 bi; Primavera do Leste, R$ 3,9 bi; Campo Novo do Parecis, R$ 3,6 bi; Nova Mutum, R$ 3,3 bi; Tangará da Serra, R$ 3,2 bi; e Sapezal, R$ 2,9 bi. Na outra ponta da tabela do IBGE os menores são os de Araguainha, R$ 19,2 mi; Ponte Branca, R$ 25,02 mi; Luciara, R$ 31,04 mi; Novo Santo Antônio, R$ 37,8 mi; Reserva do Cabaçal, R$ 38,3 mi; Serra Nova Dourada, R$ 29,3 mi; e São José do Povo, R$ 44,5 mi.


A melhor renda per capita brasileira é a de Presidente Kennedy (ES), com 583.171,85. A 12ª maior nacionalmente é a de Campos de Júlio, com R$ 206.666,65, e que em ordem decrescente é seguido em Mato Grosso por Santa Rita do Trivelato (21º), R$ 177.534,25; Sapezal (47º), R$ 116.763,71; Ipiranga do Norte (53º), R$ 114.517,97; Campo Novo do Parecis (69º), R$ 104.683,45; Querência (79º), R$ 97.089,70; Nova Ubiratã (83º), R$ 92.588.46; Itiquira (90º), R$ 89.125,31; e Santa Carmem (93º), R$ 87.539,33.
 

Notícias da editoria