Diário da Serra

Tangará da Serra - Junqueira deixa R$ 160 milhões em caixa para Vander Masson

Sergio Roberto / Enfoque Business 01/01/2021 Política

Segundo o ex-gestor, o Saldo Financeiro Disponível no município é de R$160.246.173,89

Política

O prefeito Vander Masson, que assume oficialmente o município logo mais à noite em ato de transmissão de cargo, assumirá o município com um saldo financeiro R$ 160,2 milhões. O valor foi informado na noite desta quinta-feira, 31 de dezembro, pelo agora ex-prefeito Fábio Junqueira.


Junqueira apresentou um breve relatório nas redes sociais, intitulado “Equilíbrio financeiro da Prefeitura Municipal de Tangará da Serra em 31/12/2020”.
 

Segundo o ex-gestor, o Saldo Financeiro Disponível no município é de R$160.246.173,89. Deste valor, deduz-se restos a pagar de exercícios anteriores processado de R$ 17.923,20 e, também, restos a pagar de exercícios anteriores não processado no valor de R$ 6.248.679,30.
 

Outras deduções do saldo financeiro disponível dizem respeito empenhos do exercício liquidado no valor de R$ 4.987.635,95 e um montante de R$ 24.420.615,99 em empenhos do exercício a liquidar. “O município de Tangara da Serra tem em contas bancárias, como superávit financeiro, o valor livre proveniente de recursos próprios ou vinculados de R$121.820.124,38 para a execução do orçamento de 2021”, relata Junqueira.
 

Ainda segundo o ex-prefeito, além do saldo em caixa, o município também conta com “todas as contas pagas, almoxarifado repleto de materiais, pátio de máquinas e equipamentos renovado”, consta no informativo pulicado nas redes sociais.
 

Posse
 

A solenidade de transmissão de cargo entre o atual prefeito de Tangará da Serra, Fábio Junqueira (MDB) para o novo gestor do município, Vander Masson (PSDB), que seria aberta ao público na manhã do dia 1º de janeiro, no Centro Cultural, será realizada de forma restrita e com transmissão online.
 

Segundo a assessoria do prefeito eleito, a medida é motivada pela pandemia do novo coronavírus, que recrudesceu na cidade.
 

Em vez de ser aberta ao público, como tradicionalmente ocorre, a transmissão de cargo será restrita aos agentes públicos envolvidos e ao secretariado a ser empossado, além da imprensa, com um máximo de 30 pessoas.

Notícias da editoria