Diário da Serra

GRADATIVO – Município projeta retorno das aulas presenciais a partir do dia 22

Sergio R. / Enfoque Business 10/02/2021 Educação

O retorno, inicialmente, será para alunos da educação infantil

“Não teremos dificuldade alguma em recuar, caso for necessário”, garante o secretário

As aulas da rede municipal de ensino de Tangará da Serra poderão retornar no próximo dia 22. É o que informou o secretário municipal de Educação, Vagner Constantino Guimarães, em entrevista coletiva concedida na tarde de terça-feira, 9, na prefeitura.


Vagner destacou que a projeção de retorno obedece a uma série de critérios que vão desde a organização em termos de protocolos e normas de prevenção/segurança relacionados à pandemia do novo coronavírus – que forçou à suspensão das atividades escolares durante todo o ano passado – passando pelas questões estruturais e de pessoal, até a avaliação das autoridades. O retorno, inicialmente, será para alunos da educação infantil.


Na prática, as aulas já tiveram início, desde o último dia 1º, mas na modalidade online, com utilização de redes sociais, plataformas e sistemas, já recuperando parte das 72 horas da carga curricular do ano passado e já cumprindo currículo do ano atual.


Por outro lado, o secretário destacou os prejuízos no aprendizado dos alunos com a paralisação das aulas, ao mesmo tempo em que reafirma a observância dos critérios relacionados à segurança em relação à pandemia. “Projetamos o retorno, mas desde que autorizado pelas autoridades. Estamos buscando informações junto aos profissionais da área da saúde, nos organizando quanto à estrutura física e, também, quanto aos profissionais da Educação”, disse.


Vagner destaca, ainda, que caso houver o entendimento de que as aulas não devam retornar no dia 22, a modalidade online seguirá como alternativa. “Não teremos dificuldade alguma em recuar, caso for necessário”, afirma.


“Dos sete aos 17 anos o pai é obrigado a matricular o filho, matricular apenas, ele não é obrigado a levar. Se a família entender que a criança não está segura, a opção é da família. Nós enquanto sistema de Educação, vamos fazer de tudo para atender o filho em casa, com apostilas, de um jeito em que ele possa receber educação e que essa família possa ajudar”, finalizou.

Notícias da editoria