Diário da Serra

Governo amplia 160 leitos de Terapia Intensiva no Estado; nenhum para Tangará da Serra

Fabíola Tormes / Redação DS 11/03/2021 Saúde

"A prefeitura de Tangará não colocou a disposição nenhum leito", afirma deputado Doutor João, ficando assim fora deste pacote de ações de enfrentamento à Covid-19

Saúde

O Governo de Mato Grosso divulgou nesta quarta-feira, 10, a ampliação de 160 leitos de Terapia Intensiva em 14 municípios do estado, sendo 10 vagas estão em Água Boa, 15 em Alta Floresta, 10 em Cáceres, 5 em Campo Verde, 10 em Confresa, 10 em Cuiabá, 10 em Guarantã do Norte, 5 em Nova Mutum, 10 em Pontes e Lacerda, 10 em Primavera do Leste, 10 em Querência, 20 em Rondonópolis, 15 em Sorriso e 20 em Várzea Grande. 


Considerando somente os hospitais geridos ou contratualizados pelo Estado, serão ofertados 80 novos leitos de UTI. Já em parceria com as gestões municipais e os consórcios, serão abertos outros 80 leitos intensivos. 
 

Além disso, serão criados 500 novos leitos clínicos abertos em todas as regiões de Mato Grosso com suporte ventilatório pulmonar, seja por meio de respiradores, ventiladores não-invasivos ou via oxigenoterapia.
 

Neste pacote de ações de enfrentamento à Covid-19 em Mato Grosso, o Município de Tangará da Serra ficou fora, sem ampliação de leitos de UTI e clínicos.  “Dos 141 municípios, mais de 130 ofereceu vaga de leitos clínicos, inclusive aqui do lado, em Nova Olímpia e 14 cidades ofereceram leitos de UTI, num total de 160 leitos. (…) e a prefeitura de Tangará não colocou a disposição nenhum leito, nem de enfermaria, nem de UTI”, disparou o Deputado Estadual João José de Mattos (MDB), ao relatar que munícipes estão reclamando dessa situação. 
 

Segundo o parlamentar, há mais de um mês ele vem conversando com o prefeito Vander Masson (PSDB) para junto com o Estado aumentarem os números de leitos de UTIs, utilizando os espaços ociosos do hospital municipal. “Aumentar com pelo menos mais 10 leitos de UTI (…) e quem bancaria tudo seria o Governo do Estado. Mas para o governo bancar, a prefeitura tem que colocar na Regulação Estadual, como todas as cidades do Estado são assim. E o prefeito achou melhor não colocar”.
 

Sobre este assunto, em recente entrevista, o prefeito disse que a preocupação do convênio desses leitos junto ao Estado é que não haveria mais exclusividade dessas vagas aos munícipes tangaraenses.
 

Contudo, o deputado disse que era uma questão de conversa, conveniando leitos abertos somente a partir de agora, e deixando esses 10 exclusivos para pacientes do Município. “Guarantã do Norte, Confresa, Água Boa, todo mundo colocou leito a disposição do Estado para as suas regiões, mas nós somos diferentes, desculpe a franqueza. Tangará quer que o Estado dê tudo, mas ela não dá nada ao Estado. E o Estado não pode fazer isso [dar leitos exclusivos]. Mas poderia ter conversado para manter esses [exclusivos] e dispor de novos”.
 

Sobre o assunto, entramos em contato com a Assessoria de Imprensa do Executivo Municipal e até a publicação desta matéria não obtivemos resposta. 

Notícias da editoria