Diário da Serra

ATERRO SANITÁRIO – Samae busca licenciamento para regularização do Aterro

Alexandre Rolim / Assessoria 16/03/2021 Geral

Espaço recebe atualmente 4.400 toneladas de resíduos sólidos por mês

Aterro Sanitário de Tangará da Serra

Samae busca licenciamento para regularização do Aterro

O Aterro Sanitário, que também é de responsabilidade do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae), necessita de adequações, que já estão sendo providenciadas pela nova gestão municipal. O diretor da autarquia, Heliton Oliveira, disse que o Samae terceiriza a operação do aterro, que recebe atualmente 4.400 toneladas de resíduos sólidos por mês, no entanto, o espaço está atuando sem licença de operação, em virtude da falta de adequação de algumas pendências junto a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema).

“Apesar dos entraves ambientais, o Samae está mediando todos os caminhos para a regularização do Aterro Sanitário, para termos a licença de operação. Para a solução destes problemas, o Samae irá desenvolver ações que incluem um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) junto à Sema com um cronograma exequível para sanar as irregularidades observadas”, disse Leto.


Além disso, atualmente está sendo elaborado o Plano Municipal de Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos (PMGIRS) do Município, que trará o diagnóstico da condição atual do gerenciamento dos resíduos e apresentará soluções para resolver os problemas elencados.

“O prognóstico da problemática de resíduos sólidos do Município será apresentado pelo PMGIRS, porém, acerca de resíduos volumosos, vidros, poda e construção civil será implantada uma medida preliminar de separação, triagem e destinação diversa ao aterro sanitário”.

Essas informações foram repassadas pelo prefeito de Tangará da Serra Vander Masson (PSDB) e novo diretor do Samae, Heliton Luiz de Oliveira, em coletiva à imprensa na última segunda-feira, 15. Na oportunidade foi apresentado um diagnóstico da atual situação da autarquia e desafios da nova gestão para garantir saneamento básico à população tangaraense, incluindo abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto e destinação correta de lixo doméstico através do aterro sanitário.

Samae acumula débito de R$ 840 mil em multas com a Sema

Após levantamento da condição atual do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) frente ao atendimento das questões ambientais, foi constatado que há uma série de pendências com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema/MT), cuja soma de multas totalizam 840 mil reais. A situação foi apresentada pelo prefeito municipal, Vander Masson, e pelo diretor da autarquia, Heliton Luiz de Oliveira.


Essas pendências são relativas a falta de projeto de barramento da Estação de Tratamento de Água (ETA) e falta de licença de operação da mesma, dificuldade da renovação da outorga de captação de água, falta de condições de atendimento da outorga de diluição de esgoto no Ararão, falta de manutenção preventiva e corretiva na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), falta de licença de operação, falta de licença de operação do aterro sanitário.

“Todas essas pendências do Samae serão tratadas através da assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) no qual será firmado um compromisso pela autarquia em atender as exigências apontadas pela SEMA”, pontuou Leto.


 



Notícias da editoria