Diário da Serra

CHM de Tangará da Serra pode ser alternativa para estrutura regional

Sergio Roberto / Enfoque Business 05/11/2019 Saúde

Não houve, porém, qualquer proposta concreta para esta mudança

Executivo Estadual, com o deputado Paulo Araújo, durante visita ao CHM

O Centro Hospitalar Municipal (CHM) de Tangará da Serra poderá fazer parte do projeto de regionalização da saúde pública estadual. A hipótese foi levantada durante visita, no final de outubro, do deputado estadual Paulo Araújo (PP) à estrutura da unidade hospitalar do município. O parlamentar esteve acompanhado do prefeito Fabio Martins Junqueira, vereadores, secretários e do assessor jurídico do parlamentar, ex-vereador por Tangará da Serra Amauri Paulo Cervo.


Durante a visita, conduzida por Junqueira, Araújo conheceu todas as dependências do CHM e se disse surpreso com a qualidade da estrutura física. Araújo disse que já dispunha de informações de que se tratava de uma boa estrutura. “Mas nesta visita que fizemos vi que as instalações são ainda melhores”, disse, citando que o CHM dispõe de centros cirúrgicos equipados e dentro dos padrões exigidos como referência, UTI’s, enfermarias, leitos e todas as dependências necessárias para um hospital regional para atendimento de média e alta complexidades.


Porém, o problema está na falta de resolutividade. “Tem a estrutura, mas não há resolutividade”, disse Paulo Araújo, admitindo a falta de apoio do governo anterior, que atrasou repasses e abandonou qualquer possibilidade de regionalização. “Mas o atual governo está disposto a isso”, garantiu, em seguida.


Uma das vantagens da conversão da estrutura do CHM em hospital regional seria, conforme o deputado, a agilidade. “Temos esta alternativa, da viabilização do caminho para que o Hospital Municipal, que tem já a estrutura pronta e equipada dos centros cirúrgicos, UTI’s e leitos, possa ter, com a entrada do Estado, uma realidade de que até janeiro do ano que vem seja implantado o Hospital Regional aqui em Tangará da Serra”, disse o deputado progressista. “Se formos depender de construção passaremos mais cinco anos – ou mais – sem um hospital de referência regional”, completou.


Segundo o parlamentar, o aproveitamento do CHM para uma estrutura de hospital regional passa por decisões políticas no estado – que precisa confirmar a regionalização – e do município, cuja administração precisará avalizar o processo. “Havendo estas decisões, basta apenas definir o modelo”, disse Araújo. Os modelos incluem, entre outras opções, formatos com gestão via Consórcio Intermunicipal de Saúde e parceria entre estado e município.


Prefeito admite conversas, mas alerta sobre ‘situações pontuais’

A regionalização da estrutura do Centro Hospitalar Municipal (CHM) de Tangará da Serra é uma possibilidade admitida pelo prefeito Fábio Martins Junqueira. O gestor confirmou que manteve conversas sobre o assunto com o deputado estadual Paulo Araújo e também com o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, e com o próprio governador Mauro Mendes.


Junqueira informou que o secretário Gilberto Figueiredo havia visitado o CHM antes ainda da visita do deputado Paulo Araújo. “O secretário manifestou a intenção de tornar nosso hospital como de referência regional”, disse, acrescentando que o próprio governador Mauro Mendes havia mantido contato, por telefone, para marcar uma reunião sobre esses assuntos. O encontro só não aconteceu ainda por motivo de viagem do secretário de Saúde. Contudo, uma agenda deverá ser confirmada para esta quarta, 6. “Quarta-feira irei a Cuiabá e vou passar pelo Paiaguás para fazer uma agenda”, confirmou.


Apesar de admitir a possibilidade de regionalização do CHM, Junqueira avisa que não houve qualquer proposta concreta e que, em acontecendo isso, há ‘situações pontuais’ que precisam ser observadas, como folha de pagamento.

Notícias da editoria