Diário da Serra

15 fiscais recebiam propina mensal da JBS de até R$ 25 mil em Mato Grosso

Mídia News 11/12/2019 Polícia

Servidores teriam deixado de fiscalizar frigoríficos da JBS Friboi

PF cumpriu mandados em diversos Estados da Federação

O Ministério Público Federal (MPF) informou que 15 fiscais agropecuários lotados no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) teriam participado do esquema de recebimento de propina para emitir certificados sanitários em favor da empresa JBS Friboi.


O grupo é alvo da segunda fase da Operação Porteira Aberta, deflagrada nesta terça-feira, 10, para o cumprimento de 15 mandados de busca e apreensão em seis estados: Mato Grosso, Goiás, Pernambuco, Paraná, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina.


Além dos mandados, foram cumpridos mais 15 termos de compromisso aplicando medidas cautelares, entre elas o afastamento de quatro fiscais federais agropecuários responsáveis por fiscalizar o abate de animais.


Os servidores eram responsáveis por fiscalizar o abate de animais nas unidades frigoríficas de Vila Rica, Confresa, Água Boa e Barra do Garças. Segundo as investigações, os agentes públicos teriam recebido propinas que variavam de R$ 5 mil a R$ 25 mil mensais.


Conforme o delegado federal Rafael Valadares de Oliveira, o pagamento só teve fim no início de 2017, quando foi deflagrada a Operação Carne Fraca.


“Foi identificado, só na cidade de Barra do Garças, o valor de R$ 1.869 milhão em propina. O valor começou em R$ 5 mil e foi aumentando no decorrer dos anos. A investigação aponta que desde 2008 esse pagamento era feito”, afirmou.
 

Notícias da editoria