Diário da Serra

Soja: Chapadão registra, em Tangará da Serra, primeira ocorrência de ferrugem na safra

Enfoque Business 06/01/2020 Rural
Rural

Foi registrada esta semana a primeira ocorrência de ferrugem asiática na região do Chapadão dos Parecis. O registro é do engenheiro agrônomo e pesquisador Valtemir José Carlin, da Agrodinâmica Pesquisa e Consultoria Agropecuária.

 

Segundo Valtemir, o foco da doença é numa lavoura de Tangará da Serra. “A história têm se repetido e temos os primeiros casos próximos à virada do ano/inicio de colheita”, postou o pesquisador em uma página nas redes sociais. Ele prega atenção total quanto ao manejo, especialmente nas lavouras mais tardias.

 

Na região Centro Oeste, além do caso de Tangará da Serra, foram registrados quatro casos de presença do fungo no Mato Grosso do Sul, em lavouras de Maracaju e Rio Brilhante. Os registros constam no site do Consórcio Antiferrugem.

 

Recorrente

Segundo Valtemir Carlin, a ferrugem asiática sempre foi um problema nas lavouras de soja no Centro Oeste, mas atualmente está mais rápida e agressiva. Os casos são verificados, num estágio inicial, no ponteiro das plantas.

Carlin destaca que para minimizar os danos da ferrugem da soja é preciso a adoção de algumas estratégias, como o escape (considerando semeadura e ciclo), a atualização dos fungicidas, o uso de multissítios (cujas características vão de encontro do manejo de resistência) e aplicação de fungicidas protetores e sistêmicos. “É importante também a rotação do grupo químico e do modo de ação dos produtos e, também, evitar plantios em dezembro e fevereiro, que são verdadeiras janelas para doenças e pragas”, afirmou, em recente publicação.

 

Mancha Alvo

Há, porém, outra doença que gera preocupação no meio produtivo. “Ainda vamos ter muito trabalho com a mancha alvo”, previu Valtemir Carlin, no início deste ano, durante a 10ª Jornada Técnica promovida pela Agrodinâmica. Ele citou, na oportunidade, a existência de mais de 700 hospedeiros da doença, como a crotalária.

 

Sobre a mancha alvo, o diretor da Agrodinâmica salienta que a prevenção/controle é uma questão de manejo, incluindo monitoramento em todos os ciclos da lavoura, o correto posicionamento do produtor quanto às cultivares (levando em consideração o histórico) e o pleno conhecimento da tolerância e suscetibilidade. 

Notícias da editoria