Diário da Serra

TANGARÁ DA SERRA – Empaer utiliza mão de obra de reeducandos na produção de mudas de café

Redação DS 17/08/2020 Rural

São mais de 13 projetos de pesquisa em andamento e plantio de 23 cultivares de mandioca, batata doce, café, banana, abacaxi, entre outras

Trabalho com reeducandos

A unidade da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) em Tangará da Serra trabalha na pesquisa e produção de diferentes culturas. Todo trabalho é realizado em 215 hectares do Campo Experimental e Produção em Tangará da Serra.


De acordo com o supervisor do Campo Experimental da Empaer, Welington Procópio, são mais de 13 projetos de pesquisa em andamento e plantio de 23 cultivares de mandioca, batata doce, café, banana, abacaxi, entre outras, realizado pela Empaer e parceiros, como os reeducandos do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Tangará da Serra. “Como não temos mão de obra, serviço braçal, estamos contando com a parceria da Secretaria de Justiça do Estado de Mato Grosso e Poder Judiciário, através da Primeira Vara Criminal de Tangará da Serra, onde pessoas que cometeram pequenos delitos são enviadas para trabalhar, com penas alternativas, e também reeducandos do sistema fechado”, explica o supervisor, ao afirmar que a parceria tem gerado resultados positivos, que impactarão na vida do produtor rural, que, em breve, receberá mudas de diversas culturas, como café.


“Projeto importante em todos os sentidos e que tem trazido contribuições para o preso (…) e também para sociedade e produtor rural. Só neste ano eles preencheram 53 mil mudas de café, que finalizarão em setembro as 60 mil mudas, que serão repassadas aos pequenos produtores rurais de Tangará e toda a região”, comemora a juíza da Primeira Vara Criminal da Comarca, Edna Coutinho. “Então, ao invés de ficar preso, sem fazer nada, eles vem para cá, trabalham com segurança e disciplina (…) a ressocialização do preso só acontece por meio do trabalho”. (Com informações Gilvan Mello)
 

Notícias da editoria