Diário da Serra

TANGARÁ DA SERRA – Com estoque de sangue baixo, Unitan pede para comunidade fazer doações

Fabíola Tormes / Redação DS 23/08/2020 Saúde

O horário para doação deve ser agendado pelo 3326-2529

A unidade atende de segunda a sexta-feira

Novamente com estoque de sangue abaixo da normalidade, a Unidade de Coleta e Transfusão de Sangue de Tangará da Serra (Unitan) intensifica a busca por doadores regulares de sangue.


De acordo com a coordenadora da unidade, Juliana Marinho Gramarin Costa, as coletas neste período de pandemia caíram 40%, fazendo com que o estoque fique sempre em alerta. “Estamos em um  momento atípico, toda a sociedade foi atingida pela pandemia do coronavírus e na Unitan não foi diferente. As nossas coletas caíram em 40% e nosso estoque está baixo”, afirma a coordenadora, ao destacar que o sangue tipo O positivo, que é o mais utilizado, haviam somente 11 unidades em estoque na última sexta-feira. “Que é uma quantidade muito baixa. Então fazemos um apelo aos doadores, aqueles que já estão no tempo de doar, aqueles que queiram iniciar suas doações, que queiram se candidatar a ser um doador de sangue, que compareçam a unidade”.


Para garantir segurança ao paciente, a coordenadora reforça que as doações podem ser agendadas por telefone, para evitar aglomeração. “Aqueles que tem entre 16 e 69 anos, que estejam bem de saúde, bem alimentados, bem hidratados, liguem na Unitan para agendamento. Estamos tomando esse cuidado para não ter aglomeração na unidade, para não ter risco”.


O horário para doação deve ser agendado pelo 3326-2529. A unidade atende de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h e da 13h30 às 17h. “Faça sua ligação, faça seu agendamento, que estamos aguardando”.


A Unitan atende todos os hospitais públicos e privados, UTIs e Centros Cirúrgicos de Tangará da Serra, além de cinco municípios da região – Campo Novo do Parecis, Sapezal, Brasnorte, Nova Olímpia e Denise. “Uma população de mais de 200 mil habitantes sob nossa responsabilidade. Então a gente precisa realizar essas coletas, porque as pessoas continuam precisando de sangue”.

Notícias da editoria