Diário da Serra

Concessão das rodovias da região é tema de audiência pública na Assembleia Legislativa

Assessoria ALMT 09/07/2019 Política

Trecho irá abranger também Tangará da Serra

Política

O deputado estadual Dr. João (MDB) apresentou requerimento para realização de audiência pública, nesta sexta-feira (12), a partir das 9 horas, na Assembleia Legislativa (ALMT), para discutir a concessão de um trecho de 233,2 quilômetros de via terrestre que engloba quatro rodovias que entrecortam o município de Tangará da Serra. 

 

O governo do estado já abriu o processo de consulta pública com a disponibilização no site da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (www.sinfra.mt.gov.br) do edital de licitação, que definirá a concessionária que poderá ficar responsável pela administração das estradas.

 

Segundo informações divulgadas pela Sinfra, a empresa ou consórcio que vencer a licitação terá a concessão dos trechos das rodovias MT-246, MT-343, MT-358 e MT-480, e ficará responsável pela prestação dos serviços públicos de conservação, recuperação, manutenção, implantação de melhorias, bem como a operação rodoviária das vias inclusas no pacote.

O prazo de concessão é de 30 anos com previsão de investimento de R$ 638,28 milhões ao longo do período de vigência do contrato. Após a assinatura do contrato, a empresa terá o prazo de um ano para realizar as melhorias do pavimento.

 

Hoje em dia, a população sofre para dirigir pelas estradas da região médio-norte. Faço esse caminho de carro toda semana, para ir e vir de Cuiabá a Tangará da Serra, e conheço bem esta realidade. Por isso, temos que ouvir a opinião da sociedade sobre essa concessão. Então presentamos o pedido para realização da audiência, onde o Governo do Estado apresentará para sociedade, detalhadamente, o que está previsto no edital, e os futuros investimentos que serão feitos nas estradas da nossa região”, afirmou o deputado.

 

Ainda conforme o edital, dentre os serviços que precisam ser realizados de imediato, estão a recuperação preliminar de pavimento; a recuperação de sinalização vertical e revitalização da horizontal, e a limpeza e recuperação do sistema de drenagem e recuperação dos sistemas elétricos e iluminação. Somente após todos esses serviços é que o Estado poderá permitir que a empresa possa fazer a cobrança de pedágio.

 

Notícias da editoria