Diário da Serra

Projeto de ampliação da ETA deverá estar concluído até final do ano

Assessoria 25/07/2019 Geral
Geral

O projeto de ampliação da Estação de Captação, Tratamento e Distribuição de Água (ETA Queima Pé) de Tangará da Serra deverá estar concluído até final deste ano. 


A informação é da Life Engenharia, empresa contratada pelo Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto – SAMAE – para a elaboração do projeto, cuja versão preliminar foi apresentada ao Executivo Municipal e à direção da autarquia durante reunião na tarde dessa quarta-feira (24).


Segundo o diretor do SAMAE, Wesley Lopes Torres, as obras deverão ter início no período de estiagem do ano que vem, após processo licitatório. Ele destaca que com a ampliação a ETA passará dos atuais 360 litros/segundo de água tratada para 490 litros/segundo, conforme estudo de aumento de demanda que prevê uma população de 165 mil habitantes no município até o ano de 2040.


Wesley considera a ampliação como um importante processo de modernização que completará um ciclo iniciado com o aumento da capacidade de reservação, num investimento estimado em cerca de R$ 10 milhões. “Já investimos na água bruta com as novas lagoas, no armazenamento de água tratada com o reservatório de 3 milhões de litros e dobramos a capacidade de distribuição. Agora vamos manter essa qualidade de excelência da água aliada à quantidade suficiente de manter o abastecimento”, disse.
 

Obras
 

De acordo com o diretor de Engenharia da Life, Joaquim Castro Santos, os trabalhos de ampliação da ETA acontecerão sem interrupção do abastecimento da cidade. 
 

O projeto prevê um canal com gradeamento e desarenador, uma nova unidade de mistura rápida mecanizada, oito novos floculadores, reforma e ampliação/conversão dos decantadores para altas taxas, removedor de lodo submerso, cinco novos filtros e reforma dos atuais sete filtros já existentes.
 

Também serão construídos um novo tanque para desinfecção e uma nova estação elevatória de água tratada, reformas e adequações da unidade de tratamento de resíduos, da casa de química e do sistema de dosagem de produtos químicos. Por fim, será construído um moderno centro de controle operacional automatizado, com operação remota de todo o sistema.

Notícias da editoria