Diário da Serra

Recursos do Pré-sal serão investidos na água

Rodrigo Soares / Redação DS 16/10/2019 Política

Estimativa é que Município receba R$ 3.758.956,43

Município prioriza captação de água do Sepotuba

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal aprovou nesta terça-feira, 15 de outubro, o projeto que distribuiu entre a União, Estados e municípios os recursos do megaleilão do Pré-sal, que está agendado para  acontecer no dia 06 de novembro. Conforme simulação divulgada pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), a estimativa é que Tangará da Serra  receba R$ 3.758.956,43. Diferentemente do Governo do Estado, que está com as contas no vermelho e deve utilizar a estimativa de R$ 665 milhões para pagamento de dívidas, o Executivo Municipal de Tangará da Serra estuda usar o montante para investir em melhorias na cidade. “Penso que usaremos na captação de água do Sepotuba, pois teremos uma parte financiada, parte de emenda parlamentar e parte com recursos próprios”, relatou o prefeito Fábio Martins Junqueira ao Diário da Serra, destacando que a captação de água do Sepotuba é uma prioridade para o Município.


Vale lembrar que nesta quarta-feira, 16 de outubro, Tangará da Serra completou um mês de racionamento de água, data em que a o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) também precisou abrir a última represa para abastecimento da cidade, considerada a de emergência. Segundo nota divulgada pela autarquia, a fonte que passou a ser utilizada tem capacidade de abastecimento por cerca de 20 dias, representando fôlego ao sistema até a ocorrência de chuvas mais volumosas. “A medida é necessária em razão da estiagem prolongada vivenciada pelo município neste ano de 2019”, cita um trecho da nota.


Conforme o Diário da Serra já veiculou em edições anteriores, a vazão de água no Rio Queima Pé- que é o responsável por abastecer a cidade- ficou semelhante a da registrada no ano de 2016, período em que Tangará da Serra viveu a maior seca da história.
 

Notícias da editoria