Diário da Serra

No Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, carreata busca conscientizar população sobre o tema

Alexandre Rolim / Assessoria de Comunicação 10/09/2021 Saúde

A carreata percorreu a avenida Brasil, com veículos ornamentados com balões e bandeiras na cor amarela.

Saúde

A Prefeitura Municipal de Tangará da Serra, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, realizou na manhã desta sexta-feira, dia 10, Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, uma carreata com o objetivo de conscientizar sobre o tema e contribuir com a campanha Setembro Amarelo, que tem como foco conscientização e prevenção.

A carreata percorreu a avenida Brasil, com veículos ornamentados com balões e bandeiras na cor amarela.

De acordo com a secretária de Saúde, Gicelly Zanatta, o objetivo do Setembro Amarelo, que contará ainda com diversas ações ao longo do mês, é chamar a atenção da comunidade em geral para o suicídio. A meta é conscientizar todas as faixas etárias da sociedade, com informações e atividades que dialoguem com todos.

“Realizamos este ato para mostrar que falar, que agir é a melhor opção quando o assunto é o suicídio. Todos aqueles que em algum momento sentem alguma dificuldade, se expresse, procure ajuda, a Prefeitura Municipal estará sempre a disposição, procure ajuda o quanto antes”, disse a secretária.

Participaram da ação do Setembro Amarelo nesta sexta, vários secretários municipais, representantes de secretarias e a primeira-dama, Silvana Ló Masson.
 

Dados

Relatório detalhado divulgado pelo Governo do Estado hoje mostra estatísticas das ocorrências de suicídio em Mato Grosso. 

Outros dados, do Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2021, divulgado em julho pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, apontam que o número de suicídios no Brasil em 2020 foi de 12.895, com variação de 0,4% em relação a 2019, quando foram registrados 12.745 casos.

Em contraponto ao dado nacional, Mato Grosso apresentou aumento considerável de suicídios de 18%, passando de 226 casos em 2019 para 267 no ano passado. Já no primeiro semestre de 2021, o estado teve redução. Foram 118 casos, sendo que no mesmo período do ano passado foram 132. No acumulado de 2016 a 2020 (janeiro a dezembro) e janeiro a julho de 2021, foram 1.190 ocorrências.

No detalhamento das ocorrências, em todos os anos analisados, os homens foram a maioria das vítimas, em relação às mulheres. Dos 1.190 casos, em 922, ou seja, em 77,4% as vítimas foram do sexo masculino, enquanto 268 foram do sexo feminino. O local do fato coincide como residência das vítimas, para ambos os sexos.

O relatório ressalta ainda que as mulheres jovens que sofrem violência doméstica têm maior risco de cometer suicídio, com base em uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde entre 2011 e 2015. Ela mostrou que mulheres que tinham notificação prévia de violência doméstica apresentavam 30 vezes mais risco de morrerem por suicídio quando comparadas com mulheres sem notificação prévia de violência.

Notícias da editoria